Fraternidade São Francisco de Assis

Fraternidade de São Francisco de Assis

Rua Costa Ferraz, 38, Rio Comprido, RJ
Tel: 2273-9761 / 2273-8387
e-mail: ofs.riocomprido@hotmail.com

Erigida Canonicamente em 1º de julho de 1967



Nossos encontros fraternos acontecem nos 2º e 4º domingos do mês, de 08:30 às 12:00 horas. Nos reunimos em nossa Sede após a Missa das 08:30 nos 2º domingos e nos 4º domingos nos reunimos em nossa Sede às 08:30 e às 11 horas temos a Santa Missa.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Dia do Padre


São João Maria Vianney, o cura d’Ars
MINISTROS DO SENHOR

Números 20, 1-13; Mateus 16, 13-23

Hoje lemos o famoso evangelho  de Cesareia de Filipe em que  Cristo pergunta o que dizem a seu respeito.  Hoje comemoramos  João  Maria  Vianney,  patrono celeste dos sacerdotes e dos párocos.  Os padres constantemente precisam responder a essa pergunta:  “E vós,  quem dizeis que eu sou?”.
Padres, presbíteros, ministros do Senhor, trajetórias existenciais ímpares!  Homens como todos os homens e,  ao mesmo tempo,  aqueles que não se pertencem  mais.

O padre é de um outro que o tocou profundamente. Ele, esse sacerdote ministerial,  sabe que foi escolhido para ir e anunciar o Evangelho e ser Cristo ressuscitado no meio do mundo.
Lá está ele, revestido de seus paramentos, no meio do altar. Toma pão e toma vinho. Não realiza um teatro.  Seu corpo, sua história, sua vida  se unem  à vida de Cristo, ele, esse homem, em seu ministério sacerdotal se faz pão e vida para os seus e se une ao corpo e sangue daquele que se apresenta ao Pai nas aparências do pão e do vinho. Uma única oferenda. 

Pronunciando  com voz pausada  as palavras da Oração Eucarística se faz uma só oferenda com o Cristo. O padre, ministro do altar!
Ele torna visível e presente o Cristo  ressuscitado no regime dos sacramentos. Não é um “fazedor”  de magia. Acolhe seres humanos desejosos do perdão, carentes de alivio na doença,  homem e mulher que desejam se unir no Senhor e coloca os gestos dos sacramentos sabendo que quem está agindo é o Cristo  ressuscitado através de sua voz e de suas mãos.

Ministro  dos sacramentos! Luta ele com todo empenho para  que os que pedem o batismo ou a reconciliação  sejam pessoas que estejam vivendo um processo de conversão. Não descansa enquanto não cria comunidades vivas que possam ser   albergues do ressuscitado.
Ele é o ministro da Palavra. Não é alguém que diz qualquer coisa, mas o servo da Palavra  que se  fez carne e habitou entre nós. Uma palavra sonora que veio do seio da Trindade, explodindo de amor, desejando  criar raízes de comunicação amorosa no seio do coração das pessoas como semente que produz frutos cem por um. Ministro que diz uma palavra que consola e que anima, que liberta e apazigua, que cria e que recria.  Homem da comunicação que acaba com o isolamento e com a solidão das pessoas e das histórias das pessoas.
Ele, o amigo íntimo do Senhor que não vive sem alimentar esse colóquio, na degustação do salmos de todos os dias e de todas as horas, cuja ação  não é marcada por uma correria insana e por qualquer improvisação, mas aquele que faz tudo começar no Senhor e tudo para ele se encaminhar. Vive despojando-se de si mesmo diante dos homens e do  Senhor para tornar mais profícua sua missão.
Arde no coração do sacerdote ministerial o zelo pelas coisas do Senhor:  Quer  que as pessoas possam dar sua adesão a Cristo,  não admite mediocridade  na ação dos seus colaboradores de pastoral. Procura os que estão jogados à beira da estrada para levá-los ao abrigo de seu coração e da comunidade cristã da qual ele, o padre,  é a alma.
Não é funcionário das coisas sagradas, mas presença vigorosa de um enviado do Cristo, instrumento inteligente dele. Na medida  em que vai envelhecendo, o ministro ordenado vai ganhando em seu semblante as  feições de Cristo Jesus.
Frei Almir Guimarães

Nenhum comentário:

Postar um comentário